|| A cidade é uma invenção

Scroll down to content

Eu quero te dizer

que eu vou desinventá-la

Onde houver cimento que eu leve a terra

Onde houver cercamento que eu leve um córrego

Onde houver engarrafamento que eu leve uma bicicleta
onde houver buzina que eu leve a música

Moraremos juntos
porque somos assim
juntos
mas distantes o suficiente para respirarmos

Árvores
organismos
água sobre o cinismo

Silêncios de libélulas
e um processo ultraeficiente de distribuição de tudo que se produz por perto
quase tão sábios quanto um bando de saguis, seremos

teremos céu, árvores
a comida será remédio plantado no jardim

E quando a coisa apertar
os hospitais terão vista pro mato
terão cafuné
e o sol penetrando as arestas da alopatia

Comecei isso tudo querendo existir na cidade
termino, querendo ser outra coisa
ser um outro eu
um ser que pode comungar com o espaço
quero ser um organismo entre outros organismos
quero me irmanar das paineiras

quero respeitar minha sabedoria vegetal
quero ser alfabetizada em Manoel de Barros
e respeito

A minha cidade é minha desinvenção

My NYC | New York | Jaime ScatenaMy NYC | New York | Jaime Scatena

under water  | London  | R.Cambusano
under water | London | R.Cambusano

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: