POR QUE DESOBEDECER?

Um dia você acordou, ou acordará, e terá 34 anos. Parece muito para alguns, e tão pouco para outros.

O fato é que só há duas possibilidades: envelhecer ou morrer. Eu ando preferindo a primeira há muito tempo.

Envelhecer com amor é uma resistência. Uma espécie delicada de desobediência.

Envelhecer desobedecendo os planos retos que traçaram pra mim é resistir ao que não sou eu.

Ser eu mesma, aos 34 anos, muito mais do que eu era aos 15 ou 22 é resistir, bravamente, àquilo que gostariam que eu fosse (mas não sou).

Certamente não sou um modelo para nada. Nem quero ser.

Eu quero poder apenas ter a plenitude de saber que arrisquei ser alguém que eu respeito. Alguém minimamente parecido com aquilo que creio.

E, se hoje me respeito e consigo ser quem acredito ser, é porque muita gente esteve e está comigo.

Resisto muito bem acompanhada. Resisti às ideias absolutas de beleza, feminilidade, docilidade e sucesso porque muitas pessoas estiveram comigo.

Elas são tantas, e tão lindas.

Tantas e tão potentes.

E a todas elas – da minha família, amigos e meus professores – eu agradeço pelos meus 34 anos de vida pulsante, de vida de resistência, de vida de desobediência ao que não sou!

Obrigada obrigada obrigada