e vem, a vida, entrando nas frestas da janela. Amando os caminhos que ninguém imagina. A vida vem sem pedir, cheia de danças e solfejos. Rodopiante e festiva. E quando a vida vem negra, cheia de lutos, a gente carrega com certo cuidado. Equilibra o peso sem prejudicar a lombar. A vida, se ela existe com este nome, é uma dança.

moving beings follows through space in a function of time  |  London  | R.Cambusano

moving beings follows through space in a function of life | London | R.Cambusano