Ali nada se move. Tudo é cor.
É artifício.
É o ar rarefeito da fotografia.

Ali embaixo tudo é bit, tudo é photoshop.
Tudo é tão imóvel quanto o pause do youtube.

E, também, em paradoxo,

tudo é a sensação de fluidez da avenida.

Tudo é simulacro de uma artéria urbana. E ali, dentro das máquinas, é tudo humano, como o senhor que cruza o viaduto. Como a boca que procura a outra para ser beijo.

Cities in dialogue

    • imóveis | Porto Alegre | Gabriela Canale
    • Saindo de cena | São paulo | Junior Amojr
    • Dance To Be Safe  |  London  | R.Cambusano

Dead Station | London | R.Cambusano

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: