Vou degustando o vinho com sede, a madrugada avança e estive tensa. Aos poucos me entregando para aquela sensação de torpor, objeto de Dionísio que sou. Fazemos amor livre, intenso, sou Jamie, você Hugo. Nos despedimos, tomo um café para exercer o desapego. Te molesto? De vermelho, a tarde passou pra azul. Sentados ali, entre a avenida Paulista e a Piazza di Spagna, você descreve minhas vestes de camponesa. É época das vindimas. Os cachos ainda mais livres, a voz grave te captura. Ouço o piano e sigo as notas. O som, vindo de cima, leva o pianista e a cauda imponente em direção ao céu. Libertango etéreo, o fundo infinito tem a harmonia de Piazzolla. Raros interstícios de entendimento. Carro, metrô, ônibus, corredores, vozes no alto falante. Perco a conexão. Estive sonhando e preciso acordar.

Saio de casa, atravesso a rua Batataes em direção à Pamplona. Vou pegar um ônibus. Mas é domingo, decido ir a pé, do Menino Deus a Cidade Baixa são apenas algumas quadras. Somos dois artistas, questionamos muito, vasculhamos entendimentos. Não falamos sobre arte. Falamos sobre vida, morte, felicidade. Sobre sexo e romantismo. Você está cheio de dúvidas, foi precipitado. Compartilho minhas dinâmicas, você me agradece, que bela surpresa nossa conversa. Sonho com 2001, e então com 2005, tentando encontrar o ponto de fuga: todos me parecem anos de um mesmo vetor. No princípio, eram apenas átomos que em condições de temperatura e densidade específicas aglomeraram-se em moléculas. Estruturas soltas no espaço, num instante singular encontraram-se e numa cadeia crescente, geraram vida. Monolito, Hal, útero. Parcerias evolucionárias. Numa das realidades paralelas, eu estaria agora na vida acadêmica. Chegamos no segundo Cabernet, você acha mesmo que poderia ter alcançado essa liberdade de criação se limitada por uma lógica central a que uma tese sempre retorna? Não fosse pela arte (ou pela vida), seríamos Livy e Lloyd.

 

Cities en dialogue:  Photo 1:  Natal (Jean Sartief); text 1 e 2: porto alegre (viviane gueller); photo 2: São Paulo (Gabriela Canale); photo 3: Porto Alegre (Joelson Bugila); Video 1: Curitiba (Arnaldo Belotto); Photo 4 and Draw 1: Poços de Caldas (Tiago Spina); Photo 5: Goiânia (Rei de Souza); Photomontage and Text (with excerpt from Viviane Gueller’s text): Berlin (Ísis Fernandes); Video 2: São Paulo (Patrícia Francisco);

One Reply to “Movimentos internos”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: