As obras estão dispostas. Tudo é cotidiano. Tudo é tão! A instalação pós-moderna observa a cidade. Tudo disposto com a precisão do artista anônimo: grampos, tecidos, linhas. A tessitura toda a ser penetrada. Tudo tão.
Tudo a penetrar. A água a sorver a verdade dos pés, a areia a deitar-se nas solas, as bolas que eu quis sempre rosas, oras. Rezas, cantilenas, pedras, espumas, esporas.
As cidades por onde nunca andei.
Infalível sonho, este nosso.
De estar onde nunca em carne estivemos.
E sempre estivemos.

Cities in dialogue: photo 1, 3 and 4: Tijuana (Tabea Huth); photo 2: Berlin (Isis Fernandes); video 1: Brighton (Luciana Franzolin) – song: El Emigrante: George Dalaras & Paco de Lucia; video 2: Londrina (Ygor Raduy) – soundtrack: C. Debussy – Prélude:  Des Pas Sur La Neige, text: São Paulo (Gabriela Canale).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: